Acusado de matar entregador de lanche em São Carlos pega 20 anos...

Acusado de matar entregador de lanche em São Carlos pega 20 anos de prisão

Compartilhar

Fabiano de Caldas Vieira, acusado de matar um motoboy a pauladas em agosto do ano passado, em São Carlos, foi condenado a 20 anos de prisão, na terça-feira (07/02), em uma audiência no Fórum Criminal.

A sentença foi por latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Na época do crime, o homem de 29 anos alegou que cometeu o crime sem motivos. O julgamento do outro suspeito de participação no crime ainda não tem data para acontecer.

Familiares de Márcio José Pascoal e um grupo de motoboys acompanharam o julgamento do lado de foram do Fórum. O outro acusado, Kléber Aparecido da Silva Coelho, de 25 anos, que teria ajudado a limpar a cena do crime, aguarda o depoimento de uma testemunha de defesa, em Sertãozinho. Somente depois disso ele será ouvido novamente pelo juiz em São Carlos. A data da próxima audiência ainda não foi marcada.

O crime
Pai de um adolescente de 14 anos e de um menino de 1 ano, Márcio tinha 38 anos e foi assassinado quando fazia uma entrega de lanches.

Ele foi designado para uma entrega na Travessa Waldemar Nutti, no Centro, e não retornou. Ao perceberem que ele não voltava, colegas chamaram a Polícia Militar e uma equipe começou a percorrer os endereços por onde o motoboy tinha passado.

No primeiro local, os policiais não encontraram nada ilícito, mas desconfiaram do comportamento da dupla, que estava na frente da casa, e começaram a interrogá-la.

Pauladas
De acordo com a polícia, Fabiano relatou que, assim que o motoboy chegou, ele o agarrou pela jaqueta e o jogou no chão. Em seguida, ele mandou que Márcio tirasse o capacete, mas, como o entregador não obedeceu, acabou ele mesmo tirando. Então, pegou um pedaço de madeira que estava no chão e golpeou a cabeça da vítima.

No depoimento, Fabiano relatou ainda que Márcio morreu na calçada e que a moto permaneceu ligada. Ele levou a vítima e o veículo para a casa, escondeu o corpo no banheiro e, com a ajuda Kleber, passou a limpar o sangue com água, detergente e uma vassoura.

Ainda de acordo com o depoimento, o agressor disse que pegou a bolsa do motoboy, retirou os lanches, pegou as máquinas de cartão de crédito, retirou os chips e os quebrou. Fez o mesmo com o celular da vítima.

Segundo a polícia, Fabiano pegou uma faca com a intenção de esquartejar o corpo, colocar as partes em uma bolsa e levar para longe, mas acabou desistindo da ideia e foi com o amigo comprar combustível em um posto.

Eles trancaram a casa e foram ao posto, onde encheram duas garrafas de gasolina com R$ 16 que retiraram da carteira da vitima. Ao retornarem para casa, notaram uma movimentação estranha na rua e Fabiano teria chamado Kleber para sair novamente para pensar melhor o que fazer. Foi nesse momento que eles foram abordados pela PM.

A Polícia Civil concluiu o inquérito como homicídio, enquanto o Ministério Público entendeu que houve um crime de latrocínio, roubo seguido de morte.

Com informações do G1

Compartilhar