Airton Garcia pode decretar calamidade financeira de São Carlos nos próximos dias

Airton Garcia pode decretar calamidade financeira de São Carlos nos próximos dias

Compartilhar
  • Devido as dificuldades da Prefeitura Municipal em equilibrar arrecadação e gastos, o prefeito Airton Garcia (PSB) afirmou que vai decretar calamidade financeira em São Carlos. A declaração foi feita durante uma entrevista na Rádio DBC na sexta-feira, 12.

 

Garcia foi questionado se a Municipalidade teria condições de financiar transporte público gratuito à população e na sequência a reposta do prefeito revelou que o problema com os cofres públicos é mais em baixo. “Nós estamos nas seguintes condições: A Prefeitura tem uma despesa com dívidas obrigatória a serem pagas no valor de R$ 31 milhões por mês. Só que temos arrecado R$ 30 milhões, só para manter a máquina pública funcionando”, disse.

 

“A situação é difícil, espero decretar um estado de calamidade financeira o mais rápido possível e vou usar a imprensa, porque a população tem que saber a situação da cidade. Caos é pouco”, acrescentou.

 

Logo em seguida o prefeito afirmou que o município não tem condição de construir obras e fazer asfalto e ressaltou que poderá ir a Brasília para conseguir recurso para recapear a cidade.

 

Mesmo com dificuldade e déficit, o prefeito disse que pretende realizar todas as promessas anunciadas no período eleitoral. “Quando fui eleito não fiz muitas promessas, porém as que eu fiz vou cumprir, mas não será em um dia”, ressaltou.

 

Airton já tinha decretado calamidade financeira no dia 20 de janeiro, no qual o Diário do Municipal trouxe o decreto de Nº 7 suspendendo por 90 dias, prorrogáveis automaticamente por igual período, os pagamentos de eventuais dívidas municipais empenhadas até a data. Na ocasião o prefeito disse que a medida foi tomada em caráter preventivo, com o objetivo de reavaliar os contratos firmados pela gestão anterior e evitar qualquer pagamento irregular.

 

A Secretaria de Fazenda reforçou a declaração do prefeito e informou que a previsão de receita para o mês de maio é de aproximadamente R$ 30 milhões e o total de despesas entre custeio, contratos, fornecedores e encargos, totaliza R$ 33 milhões. “Portanto, se faz necessário o controle rigoroso das despesas”, finaliza a nota.

(Abner Amiel – Folha São Carlos e Região)

Compartilhar