Atenção Ibaté! Polícia Civil alerta sobre os cuidados com a compra e...

Atenção Ibaté! Polícia Civil alerta sobre os cuidados com a compra e soltura de fogos de artifício

Compartilhar

A Polícia Civil está alertando sobre os cuidados com a compra e soltura dos fogos de artifício nesta época de fim de ano. Em Ibaté não tem nenhuma empresa autorizada pela Polícia e o Exército a vender fogos de artifício, se caso estiver, está totalmente irregular e o estabelecimento pode ser fechado e multado, caso haja uma denúncia.

O único lugar autorizado é o fogos Vaccari em São Carlos, que possui todas as normas técnicas atendidas pela fiscalização das autoridades.

A reportagem da Rota das Notícias traz uma matéria importante sobre esse tema, para evitar que pessoas sofram acidentes com fogos de artifício e evitar que uma linda festa se torne em uma tragédia.

De acordo com o investigador de Polícia Civil e responsável pela fiscalização de produtos controlados, Reginaldo Malimpensa, durante a compra, o consumidor deve ficar atento, pois existem regras específicas tanto para a venda quanto para as embalagens dos fogos de artifício. “De acordo com o Decreto Presidencial nº 3.665/00, todo fogo de artifício deve conter em sua embalagem a classificação e outras informações obrigatórias. Além das instruções de uso, devem constar o nome correto do fogo de artifício (foguete, rojão etc.), a data de fabricação e validade, peso bruto e peso líquido, número de registro no Exército, responsável técnico e seu registro profissional (em geral, engenheiro químico), procedência (fabricante e comerciante e respectivos CNPJ e endereço), bem como a classe do produto.” Explicou.

As classes de fogos de artifícios são baseadas na quantidade de pólvora contida no artefato e também indicam a idade adequada de manuseio do explosivo. A classificação é dividida em quatro categorias:

Classe A: fogos de vista com ausência de estampido, como bombinhas e balões pirotécnicos. Podem conter até 20 centigramas de pólvora e ser manuseados por crianças com mais de 12 anos desde que esteja na presença de um adulto.

Classe B: fogos com estampido, como “Potsafeu”, “morteirinhos de jardim” e “serpentes voadoras”. Contém entre 21 a 25 centigramas de pólvora, também podem ser manuseados por crianças maiores de 12 anos desde que na presença de um adulto.

Classe C: fogos com estampido como foguetes com ou sem flecha, rojões com ou sem vara. Possuem de 25 centigramas até 2,5 gramas de pólvora. Sua venda só pode ser efetuada a maiores de 18 anos. As bombas só podem conter até 6 gramas de pólvora por peça.

Classe D: fogos de artifício com estampido como baterias e morteiros com tubos de ferro. Contém mais de 2,5 gramas, a venda é proibida para menores de 18 e sua queima deve ser previamente autorizada pelas autoridades competentes.

O consumidor também deve prestar muita atenção no local de compra dos fogos de artifícios. Evite comprar em camelôs e em empresas de fundo de quintal. Só efetue a compra em um estabelecimento credenciado pelo corpo de Bombeiros.

Para que sua festa se torne completa, outros cuidados são essenciais, como seguir as orientações de uso expressas na embalagem do artefato, sempre soltar os fogos em locais abertos e sem vegetação, antes de soltar verifique se não existem materiais combustíveis por perto e nunca aponte os fogos na direção de pessoas.

Cuidado com as crianças:

Quando os adultos forem fazer a soltura dos fogos na virada do ano, precisam ter muito cuidado com as crianças que tem curiosidade e podem se ferir.

Nunca deixe as crianças chegarem perto dos fogos de artifício e nem brincar com os artefatos, mesmo depois de estourados. È necessário que se faça o descarte imediatamente após a soltura desses fogos.

Lembre-se: Compre esse tipo de produto em loja especializada, para que você e sua família não corram nenhum risco. O Vaccari em São Carlos, também oferece orientações para a soltura dos fogos, sendo que todos os produtos são inspecionados e tem a autorização para a venda.

Nossa reportagem esteve na Delegacia Seccional de São Carlos, onde Reginaldo Malimpensa, fez uma breve demonstração do perigo da explosão de um artefato que tem a venda proibida. Acompanhe o vídeo abaixo:

Também existe a necessidade da autorização para a soltura de grandes baterias de fogos. Uma pessoa responsável conhecida como Blaster é encarregada de organizar e conectar a distribuição e disposição dos explosivos e acessórios empregados neles. Além de acompanhar a soltura, ele é responsável pelo recolhimento do material, assim como é feito no Rio de Janeiro, em outros lugares do Brasil, em rodeios e em todos lugares que aglomerem o público, assim como o senhor Gaspar Vacarri, que também é um Blaster e obteve a autorização para realizar a soltura de baterias no Damha.

Compartilhar