Comandados de Airton Garcia despejam colchões em terreno do São Carlos 8

Comandados de Airton Garcia despejam colchões em terreno do São Carlos 8

Compartilhar

Ratazanas, escorpiões, aranhas, cobras e moscas varejeiras. Moradores e comerciantes que residem próximo ao ecoponto localizado no São Carlos 8 são obrigados a conviver com animais peçonhentos, lixo doméstico, móveis e entulhos que são abandonados diariamente.

Um fato que demonstrou o abandono do local, localizado em um grande terreno na Avenida Capitão Luís Brandão foi o fato de funcionários, em uma van da Prefeitura Municipal despejaram colchões onde fica um ponto de ônibus. O São Carlos Agora flagrou o desrespeito e o mau exemplo dado por comandados do prefeito Airton Garcia (PSB), principal responsável pelo abandono do local.

“Estava indo até o centro quando passei por aqui e vi que a van era da Prefeitura. Parei e com meu celular comecei a tirar fotos deles jogando os colchões ao lado de uma casa, onde é um ponto de ônibus. Fui xingada e ameaçada. Quando sai com o carro, fui perseguida por eles”, disse a dona de casa Sueli de Fátima Ribeiro, residente há três anos no bairro. “Já tirei cinco ratazanas da minha casa. Está impossível viver aqui. O prefeito só faz promessas. Não cumpre nenhuma”, desabafou. “Ele abandonou o bairro e agora seus funcionários vem depositar mais sujeira aqui”, denunciou.

REVOLTADOS

O pedreiro Misael Gonçalves Silva e o presidente da Associação de Moradores do São Carlos 8, a aposentado Carlos Donizette Galastri, residente há 10 anos disse que o abandono no ecoponto acontece há aproximadamente dois anos.

“No começo era tudo organizado e até uma cooperativa comandava o local. Mas depois ocorreu o abandono e em uma oportunidade o fogo destruiu o ecoponto. Desde então, virou terra de ninguém. A Prefeitura não fiscaliza, as pessoas chegam de carro e de caminhão e jogam todo tipo de lixo. É revoltante. O pior é que a Prefeitura que é dona do local não fiscaliza nada”, garantiu.

AVENIDA QUASE INTERROMPIDA

O problema que afeta os moradores do São Carlos 8 é grave e chega a comprometer a saúde pública diante de tanto lixo. Além do ponto de ônibus, um orelhão é uma “ilha rodeada de lixo”, impossibilitado de ser usado.

Apesar de uma cerca de arame farpado ter sido colocado no local, o amontoado de lixo se aproxima de uma Unidade de Saúde da Família (USF).

Até o trânsito está comprometido, já que metade do pavimento asfáltico da avenida Capitão Luís Brandão foi afetada e somente um carro de cada vez consegue transitar na via que é de mão dupla.

“Estamos entregues ao descaso e as promessas de um prefeito que não cumpre o que fala. Tememos que alguém coloque fogo, pois os montes de lixo, que tem madeira e galhos de árvores chegam a quase três metros de altura”, disse Sueli, temendo por algo mais trágico.

MORADORES

Outro fato anotado pela reportagem foi a presença de dois barracos montados em meio ao lixo no terreno. “Eles moram no meio do lixo e ninguém fiscaliza”, disse Galastri. “É impressionante o abandono”, finalizou.

PREFEITURA

A Secretaria de Cidadania e Assistência Social informa que irá apurar porque o descarte dos colchões foi feito de maneira irregular no São Carlos VIII. Amanhã, a Secretaria de Serviços Públicos irá fazer um novo mutirão no Ecoponto do São Carlos VIII e recolherá os colchões.

São Carlos Agora

Compartilhar