Crise na Guarda Municipal de Ibaté: Outro comandante da guarda pede demissão

Crise na Guarda Municipal de Ibaté: Outro comandante da guarda pede demissão

Compartilhar

Em menos de três meses do governo do prefeito José Parrella, dois comandantes da guarda pediram demissão.

Ângelo Henrique Daniel, conhecido como Lindão, foi nomeado no dia 04 de janeiro, ficou menos de um mês e pediu demissão.

Logo em seguida, foi nomeado o policial rodoviário aposentado Valdinei Antonio de Carvalho, que pediu demissão e está deixando o cargo nesta sexta-feira (31/03).

A reportagem da Rota das Notícias, entrou em contato com Valdinei Carvalho e ele confirmou que está deixando a guarda, mas não quis comentar o assunto.

O caso já se tornou um problema interno dentro da corporação que hoje, cobra melhorias. Alguns guardas conversaram com a reportagem da Rota das Notícias e explicaram a situação.

Alguns guardas foram até o Ministério Público Estadual, Federal e no Ministério do Trabalho, para denunciar alguns problemas.

Um deles é a condição de trabalho dos servidores e a outra denúncia foi em relação a Lei 13.022 que é o Estatuto Geral da Guarda Municipal que a Prefeitura Municipal não elaborou.

A Lei que instituiu o Estatuto Geral das Guardas Municipais foi sancionada em 2014 e as guardas tinham até dois anos para se adaptar às novas regras.

O Estatuto Geral das Guardas Municipais regulamenta dispositivo da Constituição que prevê a criação de guardas municipais para a proteção de bens, serviços e instalações. A guarda municipal deverá ainda colaborar com os órgãos de segurança pública em ações conjuntas e contribuir para a pacificação de conflitos.

A nova norma insere as guardas municipais no sistema nacional de segurança pública, garante o porte de arma e dá a esses profissionais o poder de polícia. O objetivo é que eles tenham o dever de proteger tanto o patrimônio como a vida das pessoas.

 

 

Compartilhar