Delação da Odebrecht envolve Edinho Silva e Roberto Massafera

Delação da Odebrecht envolve Edinho Silva e Roberto Massafera

Compartilhar

 

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou petições autorizando o Ministério Público Federal a investigar o ex-tesoureiro da campanha pela reeleição de Dilma Rousseff, o atual prefeito de Araraquara, Edinho Silva. A investigação e, em uma delas, se baseia nos depoimentos do executivo Alexandrino de Salles Ramos de Alencar, um dos delatores da Odebrecht.

Alexandrino relata o pagamento de vantagens indevidas, não contabilizadas, na campanha de Dilma em 2014. Os repasses teriam sido implementados por intermédio do assessor Manoel Araújo Sobrinho a pedido de Edinho.

O prefeito também é citado nos depoimentos de Benedito Barbosa da Silva Junior e Carlos Armando Guedes Paschoal, também executivos da empresa. Eles disseram que o grupo pagou vantagens não contabilizadas para a campanha de Aloizio Mercadante ao governo estadual, em 2010, e que o repasse foi feito a pedido de Edinho.

Como Edinho Silva não tem foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal (STF), o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, pediu o encaminhamento da ação à Procuradoria Regional da República da 3ª Região, em São Paulo.

O deputado estadual Roberto Massafera (PSDB), também foi citado pelos delatores Benedicto Barbosa da Silva Júnior e Carlos Armando Guedes Paschoal. Eles disseram que em 2010 teve uma doação não declarada de R$ 30 mil para a campanha de Massafera.

Com informações de Araraquara News

Compartilhar