Dispensas na Usina Tamoio são declaradas nulas pela Justiça

Dispensas na Usina Tamoio são declaradas nulas pela Justiça

Compartilhar

O Ministério Público do Trabalho (MPT) ingressou com uma ação contra a dispensa de 250 trabalhadores, oficializada na semana passada (leia aqui) da Usina Tamoio, unidade que pertence a Raízen. Nesta terça-feira (21), a  2ª Vara do Trabalho de Araraquara deu parecer favorável à liminar e declarou a nulidade das demissões.

O MPT exige que a Raízen Energia S/A realize prévia negociação com os sindicatos que representam os trabalhadores. A empresa tem até cinco dias para reintegrar os funcionários.

Na ocasião, os trabalhadores declararam-se surpresos com a decisão. Ao Portal Morada, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Araraquara, Antônio Gonçalves Filho, disse que juridicamente não havia nada o que pudesse ser feito diante da decisão da Raízen. “Tivemos um pedido da empresa de reunião para o dia de hoje. E, para nossa surpresa, a empresa veio com o anúncio das demissões. Negociamos um pacote de benefícios com a empresa, mas infelizmente entendo que nada podemos fazer juridicamente”, disse o representante.

A empresa ainda não se pronunciou sobre a decisão.

Portal Morada

Compartilhar