Escolas municipais de Ibaté cumprem protocolos sanitários rigorosos

Escolas municipais de Ibaté cumprem protocolos sanitários rigorosos

Compartilhar

Desde o último dia 08 de fevereiro, segunda-feira, as aulas da rede municipal de ensino de Ibaté retornaram de forma híbrida, ou seja, parte dos estudantes em sala de aula e a outra parte em casa.

A Secretaria Municipal de Educação e Cultura esclarece que o Plano de Retomada das Atividades Presenciais na Rede Municipal de Ensino está seguindo a Resolução SEDUC 11, de 26 de janeiro de 2021 e o Plano São Paulo do Governo Estadual, bem como, a Resolução SEMEC 001/2021.

Ivani Almeida da Silva, vice-prefeita e secretária municipal de Educação, lembra que, no momento, o retorno presencial às aulas é facultativo. “A Secretaria Estadual de Educação suspendeu, em todas as redes de ensino do estado, a obrigatoriedade da presença física dos alunos, em sala de aula, nas fases laranja e vermelha do Plano São Paulo”, explicou.

A secretária ressalta que as aulas retornaram em regime de revezamento, com até 35% da capacidade física da unidade escolar. “Hoje, porém, em média, 3,38% estão frequentando as aulas presencialmente. Acreditamos que esses alunos são aqueles cujos pais precisam trabalhar e não tem com quem deixar seus filhos”, contou. Paralelamente estão sendo mantidas as atividades remotas. “O revezamento acontece de segunda a sexta-feira. Deste modo, os estudantes se alternam em aula presencial e remota”, explicou.

A Secretaria de Educação ampliou os sinais de internet, adquiriu e repôs novos computadores para dar mais qualidade às salas de informática de todas as escolas municipais e está disponibilizando notebooks para que os educadores possam utilizá-los em sala de aula, como forma de garantir o ensino remoto dos alunos. “Estamos estudando ainda, a possibilidade de implantarmos uma plataforma que auxilie e facilite o trabalho remoto dos educadores e o aprendizado dos alunos”, lembra Ivani.

Outro fator importante é que o município possui convênio e fornece merenda escolar para os estudantes das escolas estaduais e municipais, bem como, convênio do transporte escolar que também atende as duas redes públicas de ensino.

Cuidados sanitários

A Secretaria ressalta que todos os profissionais da Educação foram orientados sobre os protocolos sanitários e os cuidados de distanciamento social, que seguem as diretrizes sanitárias do Protocolo Intersetorial do Plano São Paulo.

Ivani ressalta que a cidade se preparou para o retorno às aulas. “As aulas presenciais em Ibaté estão sendo possíveis porque a Secretaria de Educação se antecipou aos cuidados para fornecer todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) aos profissionais da Educação, além de álcool liquido e em gel 70%, sabonetes líquidos e toalhas de papel. Todos esses profissionais estão orientados sobre os cuidados sanitários e o uso obrigatório desses EPI’s”, explicou. “Os profissionais também assinaram um termo de recebimento para uso dos EPI’s, portanto, todos estão cientes”, explica.

Os profissionais que se encontram no grupo de risco e acima dos 60 anos de idade – conforme normativa vigente da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo – estão sendo dispensados da realização de atividades presenciais. “Esses servidores atuam apenas no ensino remoto, enquanto perdurar a medida de quarentena”, afirmou.

Além de todos os cuidados sanitários, o Gabinete de Prevenção e Monitoramento do Coronavírus de Ibaté também deliberou pela aprovação de um protocolo para todas as escolas municipais, orientando que, caso haja mais de um registro de Covid-19 em servidor público municipal na unidade escolar, a mesma deverá permanecer fechada por 14 dias, para cumprimento da “quarentena”.

(BOX) Confira os protocolos sanitários seguidos por todas as escolas municipais de Ibaté:

  • Cumprir o distanciamento de 1,5 metro em todos os ambientes da escola, sobretudo na sala de aula;

  • Reorganizar os horários de entrada, saída e recreio dos alunos e utilizar múltiplas entradas da escola;

  • Reduzir o número de alunos no transporte escolar para evitar aglomerações;

  • Proibir a realização de eventos como campeonatos esportivos, feiras e seminários;

  • Sinalizar as rotas dentro da escola para a manutenção do distanciamento;

  • Realizar atividades ao ar livre e em espaços maiores como ginásios e quadras;

  • Efetuar a marcação de lugares no refeitório ou servir a merenda em sala de aula.

  • Higienizar frequentemente as mãos com álcool em gel 70% ou água e sabão;

  • Obrigar o uso de máscara na escola, no transporte escolar e no trajeto de casa até a escola. O uso de máscara deve ser somente para crianças com idade superior a 2 anos;

  • Fornecer água potável de modo individualizado. Caso a água seja fornecida em galões, purificadores, bebedouros ou filtros de água, cada um deve ter seu próprio copo ou garrafa, disponibilizar copos descartáveis próximos aos bebedouros;

  • Orientar os estudantes para que não coloquem a boca na torneira ou no bebedouro.

  • Limpar todos os ambientes da escola com frequência, em especial as superfícies que são tocadas por muitas pessoas;

  • Manter portas e janelas abertas para a ventilação dos ambientes;

  • Retirar e descartar o lixo frequentemente;

  • Higienizar os veículos do transporte escolar com maior frequência.

  • Orientar os pais ou responsáveis pelas crianças e os profissionais da Educação a aferir a temperatura corporal antes da ida para a escola. Caso a temperatura esteja acima de 37,5°C ou apresentem sintomas de Covid-19, a recomendação é ficar em casa e, se necessário, procurar os serviços de saúde;

  • Aferir a temperatura de todos que entram na escola;

  • Separar uma sala ou uma área para isolar pessoas que apresentem sintomas até que possam voltar para casa;

  • Não permitir a permanência de pessoas sintomáticas de Covid-19 na escola. No caso de menores de idade, os pais ou responsáveis devem ser comunicados para buscar a criança que deve aguardar em sala isolada e segura. Orientar as famílias a procurar o serviço de saúde;

  • Manter em atividades remotas os estudantes e os profissionais da Educação que fazem parte do grupo de risco;

  • Definir diretrizes de monitoramento de sintomas, isolamento e rastreamento de contatos em conjunto com a Vigilância Sanitária do Município, conforme os protocolos do Sistema Único de Saúde.

 

 

Compartilhar