Ex-prefeito de Boa Esperança é condenado por denunciação caluniosa

Ex-prefeito de Boa Esperança é condenado por denunciação caluniosa

Compartilhar

Edinho Raminelli, ex-prefeito de Boa Esperança do Sul, foi condenado a de seis anos de reclusão, no regime semiaberto, pelo crime de denunciação caluniosa. O processo foi movido pelo vereador Marcão Rosim (PPS).

Raminelli assumiu o Executivo de Boa Esperança do Sul em 2013, quando derrotou Rosim em uma eleição suplementar, e permaneceu no cargo até 2016, quando teve o cargo cassado pela Câmara Municipal.  Durante sua gestão, foram registrados diversos casos de invasão e vandalismo  praticados contra creches do município.

Em um desses casos, Raminelli acusou o vereador de ser o mandante das ações. O processo resultou na condenação em primeira instância de dois dos seis acusados. Quatro pessoas, entre elas o advogado de defesa de Raminelli e o ex-chefe de gabinete, foram absolvidas. Raminelli, além da pena de reclusão, também foi condenado ao pagamento de 20 dias multa. Alex da Silva Dias, que testemunhou a acusação contra o vereador, também foi condenado  à  pena de três anos de reclusão, no regime aberto. A pensa, no entanto, foi substituída em prestação de serviços.

Os condenados também deverão arcar com as custas do processo, estipuladas em 100 UFESP’s.  Ambos poderão recorrer em liberdade.

 

Condenado diz que vai recorrer

À reportagem do Portal Morada, Edinho Raminelli diz não compreender a decisão da Justiça e que vai recorrer da condenação. “O garoto [que praticou o vandalismo nas unidades de ensino] depôs no processo e manteve a versão de que foi contratado para isso. Não entendo essa decisão e vou recorrer na segunda instância”, disse.

O vereador Marcão Rosim também foi procurado, mas não foi encontrado e nem retornou para comentar a decisão.

Portal Morada

Compartilhar