Família larga empregos e tira filhos do colégio para viajar

Família larga empregos e tira filhos do colégio para viajar

Compartilhar

Um casal inglês tomou uma atitude controversa para viver o que esperam ser a “grande experiência” da vida deles. Deixaram para trás seus empregos, venderam tudo que tinham, tiraram as crianças do colégio e decidiram viajar ao redor do mundo com um orçamento bem apertado.

Chris e Donna Jackson, de Hertfordshire, tomaram a decisão porque, segundo entrevista ao jornal The Mirror, eles acreditavam que não estavam passando tempo suficiente ao lado das crianças. Com apenas uma mala para cada um, eles partiram com as filhas Ellie, de oito anos, e Miley, de seis.

Chris, 35 anos, que trabalhava como paramédico em Londres, disse à publicação que as meninas já aprenderam mais do que teriam aprendido em escolas. A família está na estrada desde julho de 2017 e já visitou cinco países, compartilhando suas experiências em uma conta com mais de 100.000 seguidores no Instagram.

Na Costa Rica, por exemplo, eles viram vulcões em atividade. “Comparado a ver uma cena dessas na sua frente, o quanto você pode aprender na escola?”, perguntou Chris. “É uma experiência para a vida toda”.

Por que eles decidiram tomar uma decisão tão radical? Simples: para se aproximar da esposa, que estudava para ser enfermeira, e dos filhos.

“É um mundo muito material. As pessoas só se preocupam em dar iPads para seus filhos. Nós estamos ensinando a eles coisas mais importantes”, disse Donna, 34 anos.

De acordo com Chris, as professoras das filhas apoiaram a decisão e volta e meia deixam comentários nas fotos postadas por eles no Instagram.

Para pagar as contas das viagens, a família usa uma estratégia curiosa: troca hospedagens por exposição dos hotéis nas redes sociais. Atualmente, eles estão no Canadá.

“É estressante como qualquer viagem, mas também incrível”, resumiu Donna. “É ótimo mostrar o mundo para as meninas e ensinar a elas o que elas querem aprender”, disse. As próximas paradas da família serão Vietnã e China.

Veja São Paulo

Compartilhar