Governador Dória participa do sorteio das casas da CDHU de Ibaté e...

Governador Dória participa do sorteio das casas da CDHU de Ibaté e promete entregá-las com cozinha equipada

Compartilhar

Atendendo ao convite do prefeito José Luiz Parella (PSDB), o governador do Estado de São Paulo, João Dória, visitou a cidade de Ibaté na terça-feira, 20, onde participou do sorteio de 286 unidades habitacionais construídas pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano).

Milhares de pessoas acompanharam o sorteio e durante sua fala, o governador prometeu entregá-las com a cozinha equipada com geladeira, microondas e fogão. “Essa é a casa da família e essa cozinha não entrará no financiamento da casa, porque é um presente do governo para as mulheres.” Afirmou Dória.

Esse foi o primeiro sorteio de casas populares feito pelo governador em sua gestão como governador de São Paulo  e o primeiro contemplado foi o idoso Paulo Rodrigues de Ávila, que vibrou muito com a conquista junto de sua esposa.

O prefeito José Parella, destacou a importância de obter novas unidades habitacionais e solicitou que o governador liberasse a construção de novas casas para poder atender a demanda, já que mais de três mil pessoas participaram do sorteio.

Os prefeitos de Itirapina, José Maria e o o de São Carlos, Airton Garcia, também participaram do evento que contou com a presença dos vereadores de Ibaté.

O empreendimento habitacional “IBATÉ-B2”, conhecido também como a segunda fase do “Conjunto Habitacional Antônio Moreira”, está localizado na Avenida Santa Rufina, ao lado do Grêmio Recreativo e Esportivo Ibaté (Grei), com área útil de 45,28 m, sendo 02 quartos, sala, cozinha e banheiro.

As unidades serão distribuídas entre os inscritos obedecendo aos seguintes critérios: a) 21 moradias destinadas ao atendimento de famílias com pessoas com deficiências graves e/ou irreversíveis; b) 15 moradias destinadas ao atendimento de pessoa idosa (60 anos completos ou mais), na condição de titular do benefício habitacional, conforme critérios adotados na política estadual de habitação de interesse social; c) 12 moradias destinadas ao atendimento de policiais civis, policiais militares, agentes de segurança penitenciária e agentes de escolta e vigilância penitenciária, conforme legislação vigente; d) 3% (três por cento) da quantidade final de inscritos na condição de indivíduos sós, destinada para este grupo, limitada a, no máximo, 3% (três por cento) do número total de moradias deste Empreendimento; e) As demais moradias serão destinadas ao atendimento da Demanda Geral. O prazo máximo de financiamento é de 30 (trinta) anos.

Compartilhar