Hospital Universitário da UFSCar humaniza espaço da ala pediátrica com nova pintura...

Hospital Universitário da UFSCar humaniza espaço da ala pediátrica com nova pintura das paredes

Compartilhar

Com o intuito de transformar o ambiente em um espaço acolhedor e lúdico para receber o público infantil, o Hospital Universitário da Universidade Federal de São Carlos (HU-UFSCar) realizou nova pintura das paredes de sua Unidade de Internação Pediátrica.

A atividade teve a participação da artista plástica Anny Lemos, que realizou um projeto de pintura artística com o intuito de tornar o ambiente mais bonito, leve e colorido.
Segundo Valéria Gabassa, gerente de Atenção à Saúde, o projeto de ambientação artística da Unidade Internação Infantil do HU-UFSCar pauta-se na política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde, a partir da diretriz da ambiência. “A ambiência na saúde compreende que os espaços físico, social, profissional e de relações interpessoais devem estar em sintonia com um projeto de saúde voltado para a atenção acolhedora, resolutiva e humana”, explica. Dessa forma, a iniciativa cria ambientes confortáveis e acolhedores dentro do hospital.

Ela explica que os elementos “arte” e “cor” utilizados de forma harmoniosa podem promover a expressão das sensações humanas, mexer com a imaginação, estimular os sentidos e encorajar ao relaxamento, ao trabalho, ao divertimento ou ao movimento. Também geram sensação como calor, frio, alegria ou tristeza. No projeto desenvolvido no HU-UFSCar, foram utilizadas cores em tons pastéis. As janelas desenhadas expressam situações de chuva, sol e noite estrelada, o que ajuda a minimizar o distanciamento das crianças com esses ambientes naturais.
Segundo a gerente, a incorporação do lúdico aproxima a realidade hospitalar ao mundo da criança, deixando-a mais segura e facilitando, assim, a sua expressão, o que favorece a criatividade e minimiza os medos gerados pela entrada em um ambiente desconhecido. “A criação deste ambiente valoriza componentes que interagem com as pessoas – como a cor, a luz, as texturas e a inclusão da arte – e que agem como qualificadores e modificadores do espaço, o que contribui muito no processo de produção de saúde e de espaços saudáveis”, finaliza.

Compartilhar