Metalúrgicos na Electrolux aprovam adesão ao PPE para garantir empregos

Metalúrgicos na Electrolux aprovam adesão ao PPE para garantir empregos

Compartilhar

Os trabalhadores na Electrolux aprovaram no domingo (09/10), a adesão ao PPE (Programa de Proteção ao Emprego).

 

A proposta foi construída pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos juntamente com o CSE na Electrolux, como solução para garantir os empregos dos trabalhadores na empresa, que passa por um momento de redução nas demandas de produção.
Antes do PPE, outras medidas de flexibilidade, como férias coletivas e o PADSJ (Programa de Adesão a Demissão sem Justa Causa) foram utilizadas para suprir os efeitos da baixa produção.
A Electrolux comunicou ao Sindicato no mês passado sobre a intenção de demitir mais de uma centena de trabalhadores.

Trabalhadores na Electrolux  aderem ao PPE

Assembleias com os trabalhadores foram realizadas em frente à fábrica como forma de protesto, no qual os trabalhadores aprovaram mobilização em defesa dos empregos e a disposição de luta contra possíveis demissões.
O Programa de Proteção ao Emprego é mais um mecanismo para a manutenção dos empregos da classe trabalhadora, em São Carlos a Electrolux é a terceira empresa da base a aderir ao programa, que já contemplou trabalhadores na Volkswagen e na Prominas.
No acordo negociado os trabalhadores na Electrolux terão redução em 10% na jornada de trabalho, e redução de 5% no salário. A duração do PPE será de até 12 meses, tendo início em 10 de outubro de 2016.
Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e região, Erick Silva, a adesão ao PPE é referência na garantia de empregos. “A adesão a este acordo é muito importante para a companheirada. No momento de crise o acordo garante que nenhum trabalhador na Electrolux fique desempregado, desta forma, atende a expectativa de que as coisas melhorem. O nosso Sindicato vai sempre lutar pelo trabalhador e pela garantia dos empregos”, ressaltou Erick Silva.

Compartilhar