Sargento da Força Tática é morto a tiros em Matão

Sargento da Força Tática é morto a tiros em Matão

Compartilhar

No final da noite de segunda-feira (19), o sargento Paulo Sérgio de Arruda morreu em uma troca de tiros no Residencial Olívio Benassi em Matão. Segundo informações, o sargento da PM se envolveu em uma troca de tiros ao apurar uma denúncia de ameaças de morte contra o padre Edson Maurício, da Paróquia Santo Expedito.

O padre teria amizade com um rapaz, que passou a chantageá-lo exigindo 80 mil reais. Ele teria pedido ajuda a amigos que acionaram o sargento, que foi até Matão com outros policiais apurar a denúncia feita pelo sacerdote.

Em entrevista ao Jornal da Morada/Portal Morada, o amigo do padre, um garagista da cidade, afirmou que não estava na casa do sacerdote no momento do crime e que chegou 40 minutos depois do ocorrido, após receber uma ligação do padre, que é seu amigo. Ainda, o garagista disse que não conversou com nenhum criminoso ou policial na cena do crime. O padre teria contado a ele durante a semana que estava sofrendo ameaças e que queriam 80 mil reais. O garagista afirmou que não intermediou nenhum contato entre o padre e o sargento.

No local, houve um desentendimento e uma troca de tiros. O sargento Arruda foi atingido por dois tiros no peito e morreu após ser socorrido.

Os acusados fugiram. O padre e os outros policiais não se feriram.

Na manhã desta terça-feira (20), o padre e os envolvidos no crime foram levados para prestar depoimento. A diocese de São Carlos enviará um representante para apurar o envolvimento do padre no caso. Em outras ocasiões, o sacerdote já havia se envolvido em uma ocorrência de embriaguez ao volante.

O corpo do sargento foi encaminhado ao IML. O caso está sendo apurado.

Portal Morada

Compartilhar